Devagar

Devagar,
retomo o dia a dia peregrino.
Hoje,
como ontem,
talvez como amanhã
redesenho
passos sonâmbulos,
voltas bêbadas,
percursos mistério
Ando por aí
procurando
nos outros
o eu que me falta

Devagar
regresso
às coisas que passam
aos espaços que se esfumam
nestes dias de regresso,
sem regresso,
de onde não quero regressar