Com a ganância dos grupos económicos e a cegueira dos governantes, os PEC anunciam privatizações por todo o lado. Também na CP e na Linha do Sado. A concretizar-se a “competição”  entre empresas– aquela que dizem eles , dá-nos mais , melhores e mais baratos serviços – vai ficar bonita, vai… a Fertagus engole este “bom bocado” e o Grupo Barraqueiro – Fertagus e TST ontrola todos os transportes públicos do distrito.
Eis um comunicado dos utentes: usa-o e abusa-o. E colabora com a Comissão de Utentes, sim? 

Movimento por Melhores Comboios na Linha do Sado 

Não à Privatização das Empresas Públicas de Transportes! 

Aproveitando a onda de crise que criaram e o combate ao endividamento público por via do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), imposto pela Alemanha e por Bruxelas, o Governo do Partido Socialista e o PSD voltaram as baterias para o Sector Empresarial do Estado, colocando as Empresas Públicas de Transportes como alvo a abater.

No Metropolitano de Lisboa, querem reduzir a circulação de composições; a Transtejo retirou um dos barcos na ligação Seixal-Cais do Sodré.

A CP, no seguimento da ameaça do Governo de privatização das linhas suburbanas da região de Lisboa e do Porto, deliberou entregar o estudo à CP-Serviços com vista a uma futura privatização.

Para os utentes, tudo isto vai significar um aumento brutal de custos com os possíveis operadores privados, como é o caso da Fertágus, a cobrar o dobro nos títulos de transporte do praticado actualmente pela CP.

Para o Estado a privatização significará um aumento brutal de custos, O exemplo da Fertágus, em que somente em 2010 lhe foi atribuído 90 milhões de euros como “compensação e incentivo” é bem elucidativo do que sucederá com a privatização dos transportes.

Para o sector privado, cujo capital é cada vez mais pertença dos grandes grupos económicos, será a cereja no cimo do bolo a compra a preço de saldo, de um património que é de todos nós Portugueses, e que temos o dever de o preservar e impedir que venha a cair na alçada dos monopólios nacionais e estrangeiros.

Num momento, em que a perda do poder de compra é cada vez mais acentuada, devido principalmente à política nefasta do Governo, que tem levado inclusivamente à escalada do aumento dos preços, entre os quais estão o dos combustíveis, leva as populações à necessidade de poderem contar, cada vez mais, com o transporte público como um serviço em melhores condições de servir os utentes e as populações, isento da ganância do lucro como o que existe nas empresas privadas.

Porque são sempre as classes mais desfavorecidas a serem penalizadas com o aumento do custo de vida e o aumento das tarifas dos transportes não foge à regra e pela necessidade da mobilidade de e para os empregos, devemos defender um serviço público condigno e dizer não à privatização do sector dos transportes, o que significa um não ao aumento do preço dos títulos.

Não à entrega da “Linha do Sado” ao sector privado!

Não à Privatização do Sector dos Transportes!

A Comissão de Utentes da Linha do Sado


Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s